HOME     EMPRESA     ATUAÇÃO     CLIENTES     GALERIA DE FOTOS     NOTÍCIAS    EDUCAÇÃO AMBIENTAL     LINKS     BLOG     FALE CONOSCO
EDUCAÇÃO AMBIENTAL

O ambiente ecologicamente equilibrado é direito de todos, bem de uso comum e essencial à vida (Cf. Art. 225 da Constituição Federal do Brasil ). A sobrevivência das espécies (vegetais e animais) indica também boas condições para a sobrevivência dos seres humanos. A diminuição permanente das áreas verdes, das florestas e do cerrado piorou as condições para a sobrevivência da fauna. Por isso, a busca do homem pela preservação e equilíbrio do ambiente representa a possibilidade de sobrevivência para todos.

É necessário superar os costumes do passado, onde se pensava que os recursos naturais eram inesgotáveis. Estes recursos são de dois tipos: os renováveis como as matas, o solo, a fauna e peixes, e os não-renováveis como o petróleo, ferro, carvão e reservas minerais. Pensava-se que a natureza selvagem deveria ser submetida ao desejo dos homens, como se não estivéssemos incluídos ou não fizéssemos parte da natureza. Os recursos naturais renováveis podem ser explorados sem seu esgotamento, desde que explorados de forma sustentável, mantendo as condições ambientais necessárias para sua renovação permanente.

A caça de espécies animais se tornou predatória com o crescimento da população e foi se extinguindo. Muitos predadores como os felinos são ainda caçados como inimigos do gado e das criações. Muitas pessoas já participaram da caça de passarinhos e animais. Não havia qualquer sensibilidade de que a natureza merecia mais respeito e que aquelas atividades “inocentes” eram na verdade uma agressão. Espécies e quantidade de peixes nos rios estão em constante diminuição. A qualidade das águas é a maior causa porque o crescimento das cidades e os esgotos tornaram os rios sujos e incapazes de recuperar sua qualidade.

São também inimigas poderosas dos peixes nativos em nossas bacias hidrográficas as espécies de peixes de outras regiões, introduzidas pelos criatórios de peixes e que acabam atingindo os nossos rios. Esses peixes têm maior capacidade de sobrevivência e se multiplicam mais rapidamente. Existem em quase todos os rios.

A consciência de que não se deve domesticar a fauna nativa é recente. Mas ainda é comum o aprisionamento de aves e animais. A destruição chegou a tal ponto, que resta pouco para que todo o ambiente em que vivemos acabe totalmente degradado.

Até os anos 70 do século passado a Amazônia, o Pantanal, a Mata Atlântica e o Cerrado eram considerados áreas a serem desbravadas para o desenvolvimento. A destruição em poucas décadas e seu grande impacto, modificaram a consciência social sobre as práticas econômicas. Mais recentemente, grandes empreendedores passaram a reconhecer a necessidade de planejar os investimentos e empreendimentos tendo em conta avaliações das implicações ambientais da construção e funcionamento.

Em breve estaremos publicando textos complementares sobre educação ambiental para os seguintes assuntos:

• Desenvolvimento sustentável
• Ações sociais para sustentabilidade
• Reciclagem de resíduos
• Saneamento Básico
• Unidades de Conservação Ambiental
• Bacias hidrográficas
• Manual de Conduta Ambiental